domingo, 23 de setembro de 2007

NOCTURNO


As ondas do mar

num eterno murmúrio

sibilam ao vento

promessas de amor

de uma feiticeira

que à noite se entrega


O cântico é doce

a Lua está prenhe

mas ao despertar

esse mar salgado

espraiado na areia

vê que ela o engana

3 comentários:

MissLibido disse...

Gostei muito deste poema... porque sou uma menina do mar...

Mas ainda ando às voltas com a pureza no centro da teia... ;)

Acho k faz sentido, a morte faz sempre sentido e é sempre pura em essencia...

Keep up the good blog ;)

****************

Metamorphosis disse...

Delicioso o eterno murmúrio do mar:)

Beijinhos:)

Wendy disse...

sibilam ao vento promessas de amor

gostei muito do poema, consegue transmitir vários sentimentos...


beijinhos**